A COTA DO PRAZER

Spread the love

Olá!!

Tudo bem?!

Vamos falar, neste texto, sobre a cota do prazer. Como é facilmente intuído pela maioria das pessoas, tudo tem uma cota, uma quantidade limite a ser usada, não é verdade? Assim é o prazer, pois as coisas que nos dão prazer, em grade maioria, têm seu limite de uso, você concorda com isso? Então, é sobre esse assunto que vamos discutir neste texto.

Para início de conversa, vamos falar das coisas que nos dão prazer. Quais coisas que dão prazer vêm à sua mente neste momento? Vou ajudar relembrando várias delas, exemplos: comidas e bebidas sem álcool, bebidas com álcool, drogas alucinógenas, sexo etc.

Vamos, agora, falar sobre essas coisas citadas que nos dão prazer e a cota do prazer:

Comidas

Sabemos que temos a necessidade de nos alimentar e sem os alimentos não sobreviveríamos, mas a busca compulsória pelo prazer proporcionado pela comida pode nos trazer sérios problemas e até chegar ao ponto de não podermos ingerir determinados alimentos, exemplos desse caso são os alimentos que há adição de açucares ou sal, caso de pessoas diabéticas e hipertensas. Podemos citar, também, pessoas que não podem ingerir comidas que têm muita gordura.

Bebidas sem álcool

Assim como a ingestão compulsória de alimentos doces (que tem muito açúcar) as bebidas doces também podem trazer problemas à saúde. E muitas vezes as pessoas são privadas de beber tais bebidas. Caso novamente dos diabéticos.

Bebidas com álcool

Como a maiorias das pessoas sabem, as bebidas alcóolicas podem causar vício (dependência), se utilizadas sem moderação. O álcool causa a dependência química, isso a uso de curto, médio e longo prazo.

Drogas Alucinógenas

São drogas que causam alucinações, como: a cocaína, o LSD etc. Essas causam dependência a curto prazo. Elas causam prazer? Sim, mas destrói a vida das pessoas que as utilizam em um prazo bem mais curto que outros tipos de drogas, como o cigarro, álcool etc. Lembrando que estes também destroem as vidas das pessoas.

Sexo

O sexo (a atividade sexual) pode ser considerado doença quando começa a trazer prejuízos psíquicos e comportamentais ao indivíduo que utiliza ou faz sexo de modo inadequado, caso de pessoas que têm a necessidade (entenda-se necessidade não natural, mas uma desordem) de fazer sexo com vários parceiros (as) diferentes em curto prazo, isso entre outras situações.

Diante do que foi exposto até aqui, podemos compreender que quando há desiquilíbrio no uso das coisas que nos dão prazer, há possibilidade de que tal fonte se esgote. Pois podemos compreender que há uma cota, um limite de uso para tudo que dá prazer. O não se tornar escravo do prazer é a possibilidade de poder usufrui-lo por muito mais tempo.

Aprenda a usar, com equilíbrio, sua cota de prazer. Mas é importante falar que, muitas vezes, precisamos de ajuda para aprendermos a usufruirmos das coisas que nos dão prazer. O tratamento psicanalítico é um ótimo recurso para ajudar a equilibrar o uso das coisas que nos dão prazer. Pois na terapia psicanalítica utilizamos um ótimo recurso para descarregar a força desenfreada do desejo: a palavra (o falar sobre).

Sua leitura deste texto pôde ou pode ser a oportunidade para você fazer uma autoanálise sobre como você tem lidado com o prazer. Esperamos ter colaborado na sua vida.

Um forte abraço.

Por: Edson Carlos de Sena – psicanalista

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *